aula 02 – Criando a aplicação

Criando a aplicação

Vamos agora começar a criação do nosso aplicativo.

Rails já prove para nós um esqueleto de como será dividida a aplicação.

Ele já possui um comando para gerar o projeto, os diretórios, onde estão separados por tipo, como por exemplos onde ficaram as views que são parte da apresentação da nossa aplicação.

Nós iremos criar um aplicativo de receitas onde poderemos incluir receitas, editar, remover.
Começaremos aos poucos e iremos incrementando novas funcionalidades a medida que avançarmos os capítulos.

O comando para começarmos a criar nossa aplicação é:

rails new receitanet

Podemos ver que foi criado o esqueleto do nosso projeto, onde o rails já criou automaticamente para gente toda estrutura necessária para comeceçarmos o nosso aplicativo.

Também , foi executado o comando bundle install, o bundle é um gerenciador de gem ( Gem pode ser entendido como pacotes do linux e bibliotecas no windows), na verdade gem são aplicativos escritos em ruby que podem ser utilizados nos projetos rails. Como iremos ver a seguir utilizamos várias gems (aplicativos) no nosso projeto e o bundle é quem orquestra todas essas dependências. As gem são baixadas diretamente pela internet.

Podemos utilizaro help do rails para saber o que o comando rails pode fazer,como pode exemplo:

rails s -h ( ou –help )

Um dos comandos que mais iremos utilizar é o comando “rails server” ou simplesmente “rails s” ( que é uma forma abreviada).

Executando o comando “rails s” podemos ver que o rails está executando um web server, um servidor rodando na nossa máquina local para podermos verificar como está ficando nossa aplicação.

Veja que existe um endereço e se clicarmos nele, seremos direcionados para a página do rails, e se tudo estiver funcionando ok aparecerá a seguinte mensagem.
“Welcome aboard”, quer dizer que está tudo ok e rails está rodando na sua máquina.

Se clicarmos em “About your application’s enviroment” podemos ver informações a respeito das versões do ruby , do banco de dados e do ambiente.

Podemos utilizar em vez do endereço fornecido pelo web server “localhost:3000” que faz o mesmo efeito.

Como podemos ver o rails gera uma estrutura de diretórios para o projeto, e qualquer projeto gerado pelo rails vai seguir esta estrutura de diretórios.

Vamos agora navegar entre os diretórios para conhecer um pouco mais.

app— é onde fica o código da aplicação.
controllers- ficam na pasta controllers.
views- ficam o html.
assets-javascript e CSS.
models- ficam os modelos.
helpers- guarda códigos auxiliares.
mailers- são utilizados para envio de emails.

bin—script rails
config—configuracão de banco de dados,internacionalizacão, time-zone.
db — armazena as migrações e o esquema do banco de dados.
lib — armazena código externo
log — onde ficarão seus logs
public — arquivos estáticos como favicon.ico, 404.html e 500.html.
test — onde ficam todos os testes da aplicação.
tmp—arquivos temporários como cache.
vendor— onde ficam código de terceiros, que não são gems.

Um arquivo também muito importante é o Gem File que é um manifesto das ruby gems que nossa aplicação vai precisar.

Nele estão todas as dependências e as gems que o aplicativo necessita para executar,
tais como gem sqlite, que é o driver para acesso ao banco de dados, para nosso ambiente de desenvolvimento estamos utilizando a gem sqlite3 , mas se estivessemos utilizando outra banco de dados como o postgresql, estaríamos utilizando outra gem.

Também estamos utilizando a gem do rails para dizer qual a versão do rails que estamos utilizando, assim como outras gem que iremos precisar no decorrer do curso.

Se incluirmos alguma gem nova no Gem file precisamos executar o comando bundle no terminal para podermos instalar e atualizar as dependências do projeto, e o próprio bundle já faz isso para nós automaticamente.

Para verificarmos se todas a dependências do projeto, estão ok, podemos executar o comando:

bundle check

e para instalar alguma nova dependência executamos o comando:

bundle install